Bombay Groovy

 
 
 

Rock Psicodélico / Experimental – São Paulo/SP

 
 
No verão de 2012, Danniel Costa, músico que já atuou como sitarista para nomes importantes da cena psicodélica nacional, resolveu rumar para o contrabaixo. Nesse ínterim, conheceu Rod Bourganos, multi-instrumentista que fazia aulas de sitar indiano com seu mesmo mestre e trazia peculiaridades como o instrumento russo, theremin.
Nascia então a ideia da Bombay Groovy, que começou a se concretizar pouco tempo depois com a chegada do baterista Leo Costa. Sua afinidade com percussões étnicas também incrementou o estilo particular e visceral do grupo. Para completar a demanda por harmonia e maior variedade de timbres, Jimmy Pappon, pianista prodígio que participa do tributo ao Frank Zappa, Let’s Zappalin’, assume o posto do órgão Hammond.
A formação instrumental inusitada, com o som do sitar indiano, o timbre versátil do Hammond e a “cozinha” nervosa, revela uma banda repleta de psicodelismo, exotismo e groove. A presença constante do sitar é um elemento decisivo para o som do grupo e revela seu envolvimento com a música oriental que, com Bombay Groovy, chega revisitada. Rod Bourganos, que teve aulas no Oriente com o Guru Chandranath Battacharya, toca o instrumento em pé, como se fosse uma guitarra elétrica, transgredindo assim dogmas da cultura indiana ao abandonar a postura de lótus.

A banda lançou em 2014 seu primeiro disco contendo dez faixas que passam por diversos gêneros musicais. Disco homônimo, “Bombay Groovy” é uma experimentação sonora que dispensa os elementos vocais, substituídos por uma mistura singular de linhas consistentes de baixo, solos virtuosos de órgão, melodias etéreas de sitar e percussão pesada como uma locomotiva. Apresentado na íntegra como ato de abertura da apresentação de Ian Anderson (Jethro Tull) no Festival Psicodália, e lançado oficialmente no teatro do SESC Consolação em sua capacidade máxima de lotação, o disco teve boa repercussão por parte do público e da mídia.

Os trabalhos acerca do segundo álbum foram iniciados à distância durante o primeiro semestre de 2015, enquanto Rod Bourganos passava uma temporada na Europa em busca da música cigana e acompanhando artistas locais. Neste período, falece Danniel Costa, vítima de uma arritmia fatal enquanto dormia, pouco depois de elaborar novas composições com seu sitarista. O falecimento precoce e inesperado gerou grande comoção entre a banda, fãs, amigos e mídia (a revista Rolling Stone Brasil publicou um texto sensível em sua memória).
A Bombay Groovy resolve então seguir oficialmente como trio e dar continuidade ao álbum, agora um tributo endereçado diretamente ao baixista. Em sua homenagem, o disco trará algumas de suas composições e será intitulado “DANDY DO DENDÊ”, apelido dado a ele pelo também finado Alberto Marsicano, precursor do sitar no Brasil. As linhas de baixo durante as performances serão assumidas pelo músico Erico Jônis, com o qual a banda já trabalhou diversas vezes.
O “DANDY DO DENDÊ” tem previsão de lançamento para o segundo semestre de 2015, e enquanto isso o trio segue com diversas apresentações baseadas em seu álbum homônimo.
 
 

Galeria de fotos

 


 
 

Ouça

 
[soundcloud url=”https://api.soundcloud.com/users/83389989″ params=”color=ff5500&auto_play=true&hide_related=false&show_comments=true&show_user=true&show_reposts=false” width=”100%” height=”450″ iframe=”true” /]
 
 

Videoclipe – Le Bateau d’Orpheu

 

 
 

Bombay Groovy

 
Rodrigo Bourganos – sitar e theremin / Jimmy Diniz Pappon – hammond / Leonardo Nascimento – bateria
 
 

Continue acompanhando a banda pelo Facebook, Youtube, Soundcloud, Bandcamp e site oficial.

 
 
 
 
 

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *